Candidatos fazem fila em busca de emprego em Ribeirão

Centenas de pessoas fizeram fila nesta quarta-feira (03/02) na Vila do Doce, em Ribeirão Pires, em busca de uma colocação no mercado de trabalho. O evento promovido pela Rede de Gestores de RH do ABCD em parceria com a Prefeitura cadastrou currículos nas agências de emprego da Região, disponibilizou oportunidades e ainda fez a emissão de carteiras profissionais.

Nas primeiras duas horas do evento, cada agência recebeu em média cinco mil currículos. Boa parte dos candidatos chegou horas antes da feira do emprego começar. As filas davam voltas no quarteirão no período da manhã. Para cada uma das sete empresas especializadas em RH (Recursos Humanos) era necessário enfrentar fila diferente e o tempo de espera em cada uma era de uma hora.

“A procura está surpreendendo. O evento é gratuito. Nas edições anteriores em Ribeirão, cadastramos no total do dia cerca de cinco mil pessoas. E hoje com certeza vamos cadastrar o dobro. Há vagas abertas nas empresas da cidade e da Região, por isso muita gente já irá para processo seletivo na próxima semana”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Paulo Silotti.

Entre as agências participantes, estavam Moderna Emprego, Rheferência Recursos Humanos, Ama Merchandising, Método Ilimitado, Abiatar Seleção e Agenciamento de Mão de Obra, Agência Escola, Agência Novo Tempo, além do PAT (Posto de Atendimento do Trabalhador) da Prefeitura.

As pilhas de currículos evidenciam o sucesso do evento. “Com certeza cada agência recebeu em média 5 mil currículos nas duas primeiras horas do evento. Depois da feira, cadastramos no nosso banco de dados e cruzamos as informações entre as vagas disponíveis e os perfis que se encaixam. Com certeza muita gente estará empregada em breve”, disse Bruno Rybacki, executivo de negócios da agência Novo Tempo.

OPORTUNIDADE
José Carlos Campos da Costa, 46 anos, está há oito meses desempregado e foi em busca de oportunidade como operador de empilhadeira. "São muitas agências de emprego no mesmo lugar e, por isso, é mais fácil conseguir uma colocação. A fila é grande, mas acho que vale a pena esperar."

Marla Cristina Pacheco, 16 anos, foi acompanhada da mãe e do irmão caçula em busca do primeiro emprego. “Acho que nesta feira é mais fácil encontrar uma oportunidade. Vim munida de currículos para entregar em todas. Creio que posso conseguir na área de atendente, vendedora, recepcionista”, disse.


Fonte: ABCD Maior